segunda-feira, 6 de abril de 2009

2009: "O Ano da Multiplicação" da falta de vergonha na cara!




O Evangelho da rejeição ao materialismo e ao amor ao dinheiro deu lugar ao “evangelho” da multiplicação.
O Evangelho do não- conformismo com as injustiças do mundo deu lugar ao “evangelho” do “ primeiro-o-meu-pedaço”.
E pro inferno com os outros... pras cucuias com o bem-estar do próximo!


No lugar da simplicidade e austeridade do Culto Protestante, luzes, néon, Armani, Louis-Vuitton e perfumes importados, e multiplicou-se a falta de vergonha na cara.
Multiplicou-se o descaramento das falsas doutrinas, das heresias, da apostasia das teologias do consumo e da auto-adoração.
Em que lata de lixo largaram o Evangelho, aquele com E maiúsculo, que traz incômodo com a sua radicalidade e faz o mundo se reformar?

Que “evangelho” é esse que aponta pras prostitutas, em vez de acolhê-las? Que “evangelho” é esse que impõe regras e estatutos, que cria listas de podes e não-podes, enquanto o Evangelho nos faz nos despir das regras, pelo amor?

Onde foi parar o Evangelho da simplicidade do ser, dos pardais e lírios do campo? E que “evangelho” é esse que mede as pessoas pelo status social, profissão, ou condição? Que Evangelho é esse onde o “sucesso” é ser rico, mais rico que seus amigos da infância... ainda que mentindo, prostituindo a Palavra de Deus?

Onde a igreja se meteu? Onde lançaram os ossos dos profetas? Quando macularam as sepulturas de Lutero e Calvino? Quando foi que rejeitaram o sangue dos santos mártires?
Voltamos à Roma medieval, à construção de São Pedro, à venda de indulgências, desta vez não à venda da salvação, pois ela pouco importa, mas à venda da benção praqui, pragora!
“Tragam seus currículos e carteiras de trabalhos”, dizem alguns pastores desta nova era medieval da igreja, “pois serão como eu: prósperos, ricos, ungidos e diferentes...”.




Multiplicou-se a mentira, multiplicaram-se as orações pelas “causas impossíveis”, e tem abundando a mentira no lugar da verdade. O que será que aconteceu à igreja na contemporaneidade? Por que rejeitou ao seu Senhor?

Mas ainda há esperança! Ouvem-se as vozes dos profetas do Senhor, que ainda clamam dizendo: “Saí dela, povo meu!” Babilônia, a meretriz, morada de “demônios” e sanguessuga dos santos de Jesus está prestes a perecer, e quão grande será a sua ruína.

O Evangelho ainda resiste, apesar da insistência dos que querem corrompê-lo pela sua torpe ganância. O Evangelho ainda é poder de Deus para salvação de todo aquele que crê. O Evangelho ainda é, e sempre será, Palavra de Deus, que transforma o ser e nos faz novos a cada manhã.
Eu creio no Evangelho, e creio nele como a Palavra do Senhor, e por crer nele é que tenho forças pra suportar e lutar cada dia mais, com mais afinco, contra as mentiras dos “mercadejadores” da Palavra de Deus, contra os “ungidos” e “diferentes” que não pregam outra coisa, senão um falso “evangelho”, fruto da ganância e corrupção egoísta humana e da sede de poder e de controle das mentes alheias.





Assim como Micaías pregou contra as mentiras dos falsos profetas, eu me prepus, pelo Evangelho, lutar contra a corrupção dos que querem pervertê-lo, e isso farei, se Deus permitir. E, breve, em pouco, ver-se-á os castelinhos de areia desmoronarem, os soberbos serem humilhados, para que entendam que a soberba é pura vaidade. O Senhor breve agirá!

Espero eu, que 2009 não seja o “Ano da Multiplicação” da falta de vergonha na cara, dos falsos pregadores. Mas que seja o ano da plenitude do poder de Deus e da ação do Evangelho.

Assim creio.

Gustavo,
Nem MBA, nem próspero materialmente falando...
Mas rico e abundante em Cristo,
E sempre, servo, aprendendo no Caminho.

2 comentários:

Léo Rosetti disse...

O problema do egoísmo é irônico: por IRONIA, ele faz com que o sujeito enxergue tudo, exceto a si próprio. Se o fizesse, perceberia o quanto de arrogância existe dentro de si. Quando se diz que o indivíduo egoísta somente vê a si próprio - característica deste sentimento mesquinho comum a muitos de nós, humanos - ele o faz, sim, mas de maneira distorcida. O foco está nos outros e no que se pode ser melhor ou maior que estes.

Sua mensagem, Gustavo, denuncia o quanto de egoísmo está implícito em toda esse modismo da multiplicação. Seus líderes, que no campo teológico defendem a prosperidade - leia-se: prosperidade material - infelizmente não conseguiram ainda perceber o quanto de egoísmo carregam dentro da alma e são, por isto mesmo, carentes da misericórdia de Deus e merecedores de nosso perdão. Só vêem a si próprios mas com uma visão distorcida que aponta, sempre, para o outro e para o que se pode ser em relação a ele.

Não existe muito o que fazer em relação a estes tipos:

Aos religiosos e místicos, orem.
Aos sábios e diplomáticos, ignorem.
Aos boçais súditos dessa gente materialista, chorem.

Talvez no choro poderão perceber que o que existe dentro do corpo é um coração, bem humano, e não um cofre cheio de cifras.

Força Jovem Jd. Progresso disse...

Não é bem assim para criticar você tem que conhecer e se fosse medieval estaríamos em um feudo rsrsrsrsrsrsr , e simplesmente que esses pastores pregam essa teoria pois o NOSSO DEUS NÃO E DONO DO OURO E DA PRATA ? , ELE NÃO DIZ O QUE O MELHOR DESSA TERRA PERTECERIAM AOS CRISTÃOS ? , pois bem esse e o motivo e se não caso eles roubam o problema e entre eles e Deus e ele dará o castigo merecido , o importate e buscá-lo com sinceridade pois qual a igreja certa não sei , somente que estou conhecendo a Deus na minha Igreja Universal